Notícias - Destaques

Luta em defesa da Previdência tem início em assembleia na Bosch

Trabalhadores do 1° turno se reuniram em frente ao portão principal da empresa para se conscientizarem sobre os malefícios propostos pela Reforma da Previdência de Bolsonaro

Companheiros e companheiras, é hora dos trabalhadores se mobilizarem contra a proposta da Reforma da Previdência do Bolsonaro. Não fomos capazes de impedir a implementação da Lei de Terceirização irrestrita e a Reforma Trabalhista no governo Temer, que atacou fortemente os direitos dos trabalhadores. Agora temos que reagir contra os ataques deste governo à classe trabalhadora. Bolsonaro extinguiu o Ministério do Trabalho e ameaça acabar com a Justiça do Trabalho.

Nosso desafio enquanto classe trabalhadora é barrar a proposta de Reforma da Previdência que o governo, mais uma vez, através das mídias, mente e tentar iludir e enganar os trabalhadores. A nova Previdência, prevista pelo governo Bolsonaro, é uma cartilha de maldade. Dentre todos os podres, eles querem capitalizar a nossa aposentadoria, obrigando o trabalhador a contribuir mensalmente através de uma instituição privada – como os bancos. Ou seja, é o nosso dinheiro dizendo adeus e indo direto para o bolso dos banqueiros. E mais, os patrões não teriam que contribuir com o que contribuem hoje à Previdência. Assim, não vai sobrar dinheiro para pagar a aposentadoria de quem já se aposentou.

Entre as perversidades do pacote, também tem essa: quem ainda não conseguiu se aposentar, não se aposenta mais. A nova Previdência prevê, além de ter que trabalhar 20 anos, e não 15 como é hoje, você só poderá se aposentar com a idade mínima de 65 anos para os homens e 62 para mulheres. Não para por aí: na proposta do governo, a cada 4 anos será revista a expectativa de vida e, sempre que esta aumentar, também aumentará a idade mínima. Ou seja, a cada ano a mais que aumentar a expectativa de vida, aumentará em 9 meses a idade mínima para se aposentar. É trabalhar até morrer.

Esses são só alguns dos massacres prometidos pelo governo Bolsonaro. Essas propostas, mascaradas de “combate aos privilégios”, escondem a real intenção de empobrecer ainda mais quem quase nada tem. Não podemos vacilar, temos que derrubar a Reforma da Previdência de Bolsonaro. O governo mente quando diz que esta Reforma vai igualar a aposentadoria de todos e acabar com os privilégios. Não existe rombo na previdência, o que existe é desvio de dinheiro da Previdência pelos governos, inclusive o de Bolsonaro.

O ato frente ao portão sentido Campinas da Bosch às 5h, durante a entrada do 1° turno da empresa, composta por cerca de 1.200 trabalhadores. A manifestação também ocorrerá na entrada do 2° turno, às 13h30.

Jornal da Categoria